A Mata do Buçaco

No extremo da Serra do Buçaco, onde a montanha atinge os 547 metros de altitude, encontra-se a Mata do Buçaco. Com seis percursos pedestres parta à descoberta da sua botânica deslumbrante.

No extremo da Serra do Buçaco, onde a montanha atinge os 547 metros de altitude, encontra-se a Mata do Buçaco, cercada por um elevado muro com onze portas de entrada. Faça delas o ponto de partida para um passeio pela natureza da região e deixe-se conquistar pela exuberância serena, quase mágica, do verde intenso do Buçaco.

Depois de percorrer os caminhos da serra, descanse no Palace Hotel do Bussaco, um dos mais belos edifícios neo-manuelinos de Portugal, ou visite o Convento de Santa Cruz, onde o General Wellington pernoitou durante a batalha do Buçaco. Deixe-se envolver pelo encanto da flora e da história deste lugar.

A flora da Mata do Buçaco

A Mata do Buçaco fica muito aquém das grandes florestas da Europa em extensão. No entanto, a variedade das suas espécies vegetais ultrapassa-as em grande medida. Dentro dos muros construídos pelos Carmelitas Descalços existem cerca de 400 espécies nativas da faixa atlântica portuguesa e aproximadamente 300 provenientes de outros climas. O elemento mais representativo desta simbiose é o cedro do Buçaco, um imponente cipreste originário do México que terá sido a primeira espécie exótica plantada na floresta pelos monges em 1656. O Cedro de São José, plantado há 350 anos pelos monges junto à porta com o mesmo nome, é o símbolo local desta espécie imponente de árvores.

Um passeio pela mata

Se há local fresco e tranquilo para passear, esse lugar é a Mata do Buçaco. Com seis percursos pedestres, devidamente identificados, a mata convida-o a partir à descoberta da sua botânica deslumbrante. Siga até ao Vale dos Fetos e delicie-se nos seus lagos, refresque-se nas inúmeras fontes espalhadas pela cerca e admire os recantos naturais desenhados pela vegetação luxuriante. Pode também explorar a mata através dos percursos históricos: admire as imponentes portas da cerca ou as ermidas construídas pelos Carmelitas Descalços, que se erguem em perfeita harmonia com o arvoredo. Percorra os Passos da Paixão de Cristo, suba ao Miradouro da Cruz Alta e por fim tempo, vá até ao lugar de Almas de Encarnadouro para visitar o Museu Militar.

A Batalha do Buçaco

Durante a Terceira Invasão Francesa, o Buçaco revelou-se um local determinante para o desenrolar dos acontecimentos. A 27 de Setembro de 1810 defrontavam-se na Batalha do Buçaco as tropas anglo-lusas, lideradas pelo General Wellesley, e as tropas francesas de Massena. Aproveitando-se das propriedades defensivas do terreno e contando com 50.000 homens, Wellesley travou a ofensiva napoleónica em direcção a Lisboa, desferindo um duro golpe nas forças napoleónicas, e animando o moral e a perseverança das forças portuguesas e inglesas. Este confronto iria tornar-se basilar no desenrolar dos acontecimentos militares que se seguiram e que determinaram a expulsão definitiva das tropas francesas. As terras do Buçaco revivem, até hoje, a aura de glória e bravura do Portugal que resistiu ao invasor.

Return to the top