Barroca

Percorrer a Aldeia da Barroca é deparar-se a cada passo com o genuíno espírito das Aldeias do Xisto, ou não fosse esta a aldeia que serve de sede à iniciativa.

Enquadrada pelo pinhal e pelas antigas Minas da Panasqueira, a Barroca continua a preservar o ambiente rural regido pelos ciclos agrícolas. Percorrê-la é deparar-se a cada passo com o genuíno espírito das Aldeias do Xisto, ou não fosse esta a aldeia que serve de sede à iniciativa. É curta a distância que separa as margens do Zêzere da Casa Grande, o antigo solar do século XVIII onde funciona o Centro Dinamizador das Aldeias do Xisto. Pelo caminho encontram-se os antigos moinhos, movidos pela força do rio, e ao chegar ao espelho de água, uma ponte pedonal convida à descoberta do sítio rupestre do Poço do Caldeirão, onde se podem observar duas rochas decoradas com gravuras paleolíticas representando equídeos e caprídeos, datáveis de entre 20.000 e 15.000 anos a.C.. De volta à Casa Grande, uma visita ao Centro de Interpretação esclarece dúvidas e desafia à descoberta de toda a Rota da Arte Rupestre da região do Pinhal Interior.

Return to the top