Peniche, o paraíso geológico de Portugal!

A península de Peniche, em termos geológicos, mostra uma sucessão de estratos de rochas sedimentares carbonatadas de idade jurássica, registando, de forma contínua e ímpar, cerca de 20 milhões de anos da história geológica portuguesa. Paisagens dramáticas de outro mundo como nunca viu antes e que são de cortar a respiração. Um eco-sistema ímpar que faz

A península de Peniche, em termos geológicos, mostra uma sucessão de estratos de rochas sedimentares carbonatadas de idade jurássica, registando, de forma contínua e ímpar, cerca de 20 milhões de anos da história geológica portuguesa. Paisagens dramáticas de outro mundo como nunca viu antes e que são de cortar a respiração.
Um eco-sistema ímpar que faz de Peniche o melhor local na Europa para observação de aves migratórias.   

A partir dos estudos no estratotipo de Peniche concluiu-se que no Jurássico Inferior a Península Ibérica era uma ilha e que as zonas das cidades como Coimbra, Lisboa e Peniche eram mar, só existindo ambiente marinho. Uma história registada nas rochas que remonta aos primórdios do Jurássico (200 milhões de anos) e à “vida” mais recente do Planeta Azul, quando os dinossauros já povoavam as zonas continentais e a Península Ibérica ficava perto da porção setentrional do continente americano.

Constitui, assim, o melhor registo em Portugal de rochas daquela idade, relacionadas com uma fase marinha iniciada há 190 milhões de anos, anterior à génese do oceano Atlântico.

Locais de interesse geológico da Península de Setúbal:

1.
Papôa

Na costa norte de Peniche, surge uma pequena península com calcário e brecha vulcânica, conhecida por ilhéu da Papoa. Esta formação rochosa apresenta um modelado cársico, sendo um local de pesca bastante procurado, proporcionando, também, belas vistas para o mar.
O ilhéu da Papoa marca o início da praia do Baleal, é refúgio dos surfistas quando o vento sopra de sudeste e também um excelente local para observação de aves marinhas.
Peniche é o melhor local para observação de aves migradoras da Europa, tais como: o corvo-marinho-de-crista (Phalacrocorax aristotelis), mobelha-pequena (Gavia stellata), gaivota-risonha (Larus atricilla), andorinha-do-mar-rósea (Sterna dougallii).

2.
Praia do Portinho da Areia do Norte

A Praia do Portinho da Areia do Norte é um local privilegiado para contemplar, ao longe, a Reserva Natural das Berlengas.
O areal de pequena dimensão localiza-se numa enseada e a Norte deste, encontra-se a Península da Papôa, conhecida pela existência de um pico de ondas grandes na sua proximidade imediata.
Foi nesta praia que foram enterradas as vítimas do naufrágio da nau San Pedro de Alcântara do Reino de Espanha, a 2 de fevereiro de 1786.

3.
Ponta do Trovão e Praia do Abalo

A Ponta do Trovão localiza-se na zona Norte da península de Peniche e destaca-se na fisiografia desta pois projecta-se através de uma “ponta” rochosa, ladeada por uma pequena enseada que forma uma praia em “U”, a Praia do Abalo.
Aclassificação da Ponta do Trovão pela International Union on Geological Sciences “mostra uma sucessão de estratos de rochas sedimentares carbonatadas de idade jurássica, registando, de forma contínua e ímpar, cerca de 20 milhões de anos da história geológica portuguesa”.
“Constitui, sem dúvida, o melhor registo em Portugal de rochas daquela idade, relacionadas com uma fase marinha iniciada à volta dos 190 milhões de anos, anterior à génese do oceano Atlântico.”

4.
Dos Remédios ao Cabo Carvoeiro

Do miradouro dos Remédios ao Cabo Carvoeiro, estende-se uma paisagem cársica de rara beleza, formada por lapiás de várias dimensões, que não raras vezes é local de paragem para turistas. Esta porção de costa da península de Peniche é detentora de elevado valor patrimonial, nomeadamente alto valor cénico e geomorfológico.

5.
Gruta da Furninha

A Gruta da Furninha, localizada na costa Sul da península de Peniche, corresponde a uma cavidade natural ocupada durante o período pré-histórico, tratando-se da mais importante estação pré-histórica do concelho.

Hoje localizada junto ao mar, esta gruta foi ocupada entre o Paleolítico Médio e o final do Calcolítico, tendo sido escavada em 1880 pelo estudioso Joaquim Nery Delgado.

Utilizada como abrigo e necrópole, esta estação pré-histórica forneceu um vasto espólio arqueológico, do qual se destacam: vestígios osteológicos de vários hominídeos, nomeadamente do Homo Sapiens (Homem de Neandertal) e de Homo Sapiens Sapiens (Homem actual); vestígios de fauna do período quaternário (peixes e mamíferos); utensílios líticos (bifaces, pontas de seta, machados de pedra polida…); utensílios em osso; e várias peças de cerâmica neolítica (os célebres vasos de suspensão da Gruta da Furninha).

Este numeroso espólio encontra-se disseminado por vários museus, entre eles o Museu Municipal de Peniche.

 

Return to the top