Reserva Natural da Serra da Malcata

Passear por entre uma paisagem inigualável, onde a presença humana é pouco sentida e a cada passo se encontram animais raros e uma flora que recorda as antigas florestas mediterrânicas, é ainda possível na Reserva Natural da Serra da Malcata.

Passear por entre uma paisagem inigualável, onde a presença humana é pouco sentida e a cada passo se encontram animais raros e uma flora que recorda as antigas florestas mediterrânicas, é ainda possível na Reserva Natural da Serra da Malcata. Criada em 1981 sob o estandarte da protecção do lince ibérico, a Reserva é também o habitat seguro da raposa, do gato-bravo, do javali, da lontra, da corça, da cegonha-preta, da águia-caçadeira, do açor, da pega-azul ou do rouxinol-do-mato. A sua área estende-se por mais de 16.000 hectares, com bosques de carvalho-negral, azinheira e medronheiro, que se enchem de cor na Primavera e no Outono, cursos de água, lagos e zonas de mato.

O Lince Ibérico

No início dos anos 90 existiam cerca de 1000 linces ibéricos distribuídos por 9 núcleos populacionais em Portugal e Espanha. Hoje são apenas cerca de 100, não havendo certeza da existência de exemplares em Portugal. A excepção é o centro de reprodução criado em Silves, onde todos os esforços estão a ser empreendidos para que o lince ibérico volte a existir na natureza portuguesa, prevendo-se que a Reserva Natural da Serra da Malcata seja um dos primeiros locais contemplados assim que for possível passar à fase de libertação.

Conhecer as terras do lince

Criada para proteger o património natural, mantendo os habitats naturais locais, e para promover o estudo científico, a educação ambiental e o apoio às actividades tradicionais da região, a Reserva Natural da Serra da Malcata possui no Centro de Educação Ambiental Senhora da Graça um laboratório, um espaço de auditório com biblioteca e um trilho interpretativo que permitem a realização de diversas actividades, entre as quais os ateliers didático-pedagógicos com temáticas ligadas à conservação da natureza. Este é um dos pontos de partida para os passeios pedestres ou de BTT que se organizam na zona da Reserva, pelos diferentes pontos de interesse da serra: o Caminho do Salgueirinho, o Caminho do Sobreiral, Capela do Espírito Santo, o Caminho do Carvalhal ou o Cabeço do Pisão Para quem prefere fazer menos esforço físico, a Reserva permite também um percurso de automóvel.

Não deixe de visitar esta terra, quase intocada, que se encaixa entre os rios Côa, a norte, e Bazágueda, a sul, e deixe-se encantar pela riqueza da fauna e pela abundância da flora, pontuada por refrescantes percursos de água. Venha conhecer o lado selvagem da Beira Interior.

Return to the top