Santuário dos Valinhos

A pequena aldeia de Aljustrel foi o local de nascimento dos três pastorinhos. A casa dos irmãos Francisco e Jacinta podem ser visitadas, assim como a casa da Lúcia, convertida num museu que retrata o modo de vida local do início do séc. XX. Partindo de Aljustrel, poderá percorrer a via sacra de Valinhos. Este era

A pequena aldeia de Aljustrel foi o local de nascimento dos três pastorinhos. A casa dos irmãos Francisco e Jacinta podem ser visitadas, assim como a casa da Lúcia, convertida num museu que retrata o modo de vida local do início do séc. XX. Partindo de Aljustrel, poderá percorrer a via sacra de Valinhos. Este era o caminho que Lúcia, Jacinto e Francisco faziam desde Aljustrel até à Cova da Iria.

Esta via sacra tem 14 estações em memória da Paixão de Jesus e há também uma 15ª estação que evoca a Ressurreição, conhecida como Calvário Húngaro ou Capela de Santo Estêvão. A capela e as estações da via sacra foram dádiva dos Católicos húngaros, refugiados no Ocidente, depois da invasão soviética da Hungria.

A via sacra (inaugurada no dia 11 de Agosto de 1962) e a Capela (inaugurada no dia 12 de Março de 1964) foi projectada pelo engenheiro Ladislau Marec. A 15ª estação foi inaugurada no dia 13 de Outubro de 1992.

Antes de chegar à Capela de Santo Estêvão, os viajantes podem ver a “Loca do Anjo”, onde os três pastorinhos receberam o “Anjo da Paz”, pela primeira e terceira vez (na Primavera e no Outono de 1916).

Este é um local de absoluta reclusão, totalmente preservada, onde as oliveiras e as azinheiras definem o espírito do local.

O Calvário Húngaro e a via sacra dos Valinhos são um ponto obrigatório para todos os peregrinos que viajam até Fátima, o altar do mundo, em busca de fé de respostas para os seus problemas diários. Este é o local perfeito para rezar e para a introspecção.

Return to the top