Sé Velha de Coimbra

Considerada uma jóia do Românico português, é a única catedral portuguesa construída na época da Reconquista cuja estrutura chegou intacta até à actualidade.

Fundada durante o reinado de Afonso Henriques, a Sé Velha de Coimbra representa, na sua monumentalidade, a grandeza austera da arquitectura românica. Considerada uma jóia do Românico português, é a única catedral portuguesa construída na época da Reconquista cuja estrutura chegou intacta até à actualidade. Vale a pena atravessar o magnífico portal, que lembra a entrada de uma fortaleza, e descobrir o interior, onde a pedra construiu um espaço imponente marcado pela alternância de luz e sombras, levando-nos por entre colunas maciças e delicados capitéis repletos de folhas e figuras de animais. Reserve ainda tempo para admirar o magnífico retábulo, esculpido em talha, que decora o centro da capela-mor, uma obra renascentista de Olivier de Gand e Jean d’Ypres. Junto à igreja, pode apreciar o silêncio do claustro gótico, que convida à calma e ao deleite.

E por fim, dê a volta ao edifício e coloque-se frente à Porta Especiosa, símbolo da Coimbra renascentista, erudita e cultural. Esta obra notável de João de Ruão foi esculpida como um gigantesco retábulo em pedra, albergando peças escultóricas de delicada beleza. Ladeando a entrada, o Profeta Isaías e São João Baptista guardam o magnífico medalhão onde foi esculpida uma imagem da Virgem com o Menino, considerada uma das mais belas peças do Renascimento português.

Largo da Sé Velha Coimbra

Return to the top