Vilar Formoso Fronteira da Paz

“Que Deus abençoe Vilar Formoso pela humanidade que teve com aqueles estrangeiros há 73 anos. Que eu tenha o privilégio de ser capaz, durante a minha vida, de passar aquela bondade aos outros.” Henry Galler  Em 2012, o Município de Almeida iniciou o processo de criação do Museu “Vilar Formoso Fronteira da Paz”, dedicado à passagem dos refugiados

“Que Deus abençoe Vilar Formoso pela humanidade que teve com aqueles estrangeiros há 73 anos. Que eu tenha o privilégio de ser capaz, durante a minha vida, de passar aquela bondade aos outros.” Henry Galler 

Em 2012, o Município de Almeida iniciou o processo de criação do Museu “Vilar Formoso Fronteira da Paz”, dedicado à passagem dos refugiados por Portugal, durante a II Grande Guerra.

O museu será alojado ao lado da estação ferroviária de Vilar Formoso, ocupando dois pavilhões. Serão apresentados seis núcleos expositivos: “Pessoas como nós”, “Início do pesadelo”, “A viagem”, “Vilar Formoso – Fronteira da Paz”, “Por terras de Portugal” e “A partida”.

Vilar Formoso era a porta de entrada em Portugal, reconhecido pela sua hospitalidade. Há inúmeros testemunhos de refugiados que descreviam Vilar Formoso como um local simpático, onde os refugiados eram acolhidos com enormes panelas de sopa, pão e alojamento.

Portugal era um país neutral na II Guerra Mundial, desempenhando um papel crucial como ponto de fuga para os refugiados que fugiam aos horrores do Holocausto. A maior parte dos refugiados eram anónimos, mas entre eles havia também escritores reputados, cineastas, artistas, actores, intelectuais, políticos, membros da realeza, agentes secretos, entre outros.

Alguns dos refugiados que passaram por Portugal nesse período relataram essa experiência nas suas memórias, como por exemplo: Arthur Koestler, Alfred Döblin, Heinrich Mann, Antoine de Saint – Exupéry, Erika Mann, George Rony e Peggy Guggenheim.

O museu abriu as suas portas no dia 26 de Agosto de 2017 e foi inaugurada pelo Presidente da Républica Portuguesa.

Foto: Vilar Formoso – Fronteira da Paz
Autoria: Margarida de Magalhães Ramalho

Câmara Municipal de Almeida
Praça da Liberdade
Almeida

Return to the top