A excelente região central de Portugal está situada entre o norte verde e a região de Lisboa. O Centro de Portugal atrai com uma das paisagens mais variadas do país. A oeste, você encontrará as extensas praias de areia branca do Atlântico, e a leste a região que se estende até a fronteira com a Espanha.

O Centro de Portugal foi e ainda é, em muitos aspectos, o centro espiritual e cultural do país. Isso se deve principalmente a Coimbra, uma das maiores cidades de Portugal e antiga residência dos primeiros reis portugueses. A cidade do Rio Mondego sofreu mudanças drásticas ao longo dos séculos. Como Lisboa e Porto, Coimbra é uma cidade de mirantes. Mas o ponto mais alto não fica em um castelo, como em Lisboa, e sim na Universidade, que é uma das mais antigas do mundo e continua sendo uma das mais importantes de Portugal.

A UNESCO incluiu o local da Universidade de Coimbra na lista de Patrimônio Mundial. Mas Coimbra não está sozinha representando o Centro de Portugal. Os imponentes mosteiros de Alcobaça, Batalha e o Convento de Cristo, em Tomar, também fazem parte dessa lista. Não esqueça que as gravuras das cavernas, descobertas no Vale do Côa, também são um patrimônio mundial da UNESCO.

A Conímbriga Romana, à qual Coimbra deve seu nome, está localizada 15 km ao sul do Rio Mondego e, com 130.000 metros quadrados, é o maior campo de ruínas da época Romana de Portugal. Devido aos seus muitos mosaicos ao ar livre e aos restos dos banhos Romanos, frequentemente é comparada com a Pompeia italiana. Quem procura diversidade, prazer e lazer só precisa visitar os balneários próximos para chegar às praias da costa. Figueira da Foz, cujo nome deriva de uma figueira sagrada na foz do Rio Mondego, oferece uma grande tradição pesqueira, além do entretenimento de um grande balneário.

Aveiro proporciona impressões muito diferentes: canais como em Veneza ou Amsterdã, lagos salgados reluzentes à beira da lagoa, uma ria (vale fluvial no entorno da foz do rio) de 45 km de comprimento e ainda tem as casas de pescadores listradas e coloridas da icônica praia da Costa Nova.

No centro da região, você encontrará a cidade de Viseu, que se tornou um ponto obrigatório para o turismo, principalmente por causa do Museu Nacional Grão Vasco, instalado no antigo Palácio dos Bispos. Grão Vasco, um dos maiores pintores portugueses de todos os tempos, nasceu em 1501, em Viseu.

A floresta do Buçaco tem uma paisagem fascinante, ideal para os amantes da natureza. Essa floresta magnífica conta com um Palace Hotel impressionante bem em seu coração, além de cerca de 400 árvores nativas e 300 árvores e espécies de plantas exóticas. Entre elas, você encontrará cedros africanos, indianos e mexicanos, e imponentes ciprestes, plátanos e mimosas.

Os amantes de atividades ao ar livre também podem encontrar outros parques e jardins magníficos, que são realmente atraentes. Nos Jardins da Quinta das Lágrimas, você encontrará palmeiras, árvores-de-judas, cedros, ciprestes, além de uma bela e trágica história de amor envolvendo o herdeiro do trono, Dom Pedro, que não podia se casar com a dama da corte espanhola Inês de Castro. Reza a lenda que as lágrimas dela continuam sendo derramadas na primavera, regando todas as plantas exóticas do jardim. Também vale a pena visitar o Jardim Botânico da Universidade de Coimbra.

O jardim do Palácio do Bispo em Castelo Branco é um belo exemplo de um jardim barroco com sebes e arbustos artísticos, fontes ornamentadas, nascentes de água e um lago.

No Jardim Buddha Eden, na propriedade Quinta dos Loridos, temos a sensação de estar na Ásia. Esse é o maior jardim asiático da Europa, onde podemos contemplar Budas e Pagodes, guerreiros de terracota e dragões de pedra. Um passeio pelo jardim leva o visitante aos mais belos jardins da região.

O Centro de Portugal é o local ideal para quem viaja sozinho e gosta de natureza. Por exemplo, a paisagem da Serra da Lousã e suas trilhas de caminhada. Se você tiver sorte, verá plantas e animais raros, já extintos em outros lugares. Também vale destacar as tradicionais Aldeias do Xisto, que foram cuidadosamente restauradas com a ajuda de fundos da UE. As Aldeias do Xisto representam a conscientização do turismo sustentável.

Existem também 12 Aldeias Históricas localizadas nas áreas montanhosas do Centro de Portugal. Esses assentamentos quase desertos foram restaurados e renovados para fins culturais e turísticos. Qualquer pessoa que tenha passado uma noite em uma dessas magníficas Aldeias Históricas nunca esquecerá a paz e o sossego incomparáveis que elas proporcionam.

Os viajantes em busca de romance não podem deixar de visitar o Castelo de Almourol, localizado bem no meio do Rio Tejo, em uma ilha bem pequena. O castelo provavelmente foi construído pelos Romanos, e nas guerras de Reconquista do século XII fazia parte da linha de defesa sobre o Rio Zêzere, de Tomar a Cardiga.

Os amantes da natureza são atraídos para o Parque Natural do Tejo Internacional. Essa é uma das regiões menos povoadas de Portugal, perto da fronteira com a Espanha. É impressionante a grande variedade de espécies de aves raras que você pode ver ao longo do ano nessa região. O Tejo Internacional é ainda mais bonito na primavera, quando as cegonhas fazem ninhos e a paisagem é coberta por um véu de flores brancas.

A Serra da Estrela, na região montanhosa, é literalmente a maior atração. No horário de verão, o pico mais alto de Portugal oferece lagos montanhosos tranquilos, cachoeiras e aldeias encantadoras, habitadas por pessoas que tiram seu sustento principalmente dos rebanhos de ovelhas. No inverno, os moradores a visitam como a única área de esqui do país.