Foram identificadas 7 espaços aplanados, utilizados como miradouros, que apesar de integrarem uma zona sujeita a processos erosivos marcados e estando devidamente assinaladas para o risco, são zonas sujeitas a uma intensa e regular ocupação por parte de pessoas e veículos, sofrendo processos de degradação associados ao pisoteio e colocando em causa a segurança de pessoas. O conceito de intervenção visou a regulação dos acessos a estes espaços, afastando as pessoas da faixa de risco, com a delimitação de um percurso alternativo que fizesse a ligação entre miradouros e que funcionasse simultaneamente como limite, a renaturalização dos espaços degradados, com a eliminação de espécies invasoras e replantação de espécies autóctones. Neste sentido, foi proposto um passadiço em madeira a ligar estes espaços, que definisse o percurso que permitisse percorrer estes espaços sem os destruir, e que funcionasse ao mesmo tempo como limite. Fonte: http://www.nadiaschilling.com/