O canhão da Nazaré é um intrigante fenómeno geológico com 5000 metros de profundidade e uma extensão de 230 km. É a causa das ondas incrivelmente gigantescas que atraem os melhores surfistas do mundo. A época das ondas gigantes começa em Novembro e termina em Fevereiro. Desde 2011, o Big Wave Challenge na Praia do Norte cativou a atenção do mundo e a Nazaré converteu-se num destino de surf de renome mundial. Mas só para os mais destemidos!

Mas a Nazaré não se faz apenas de ondas de cortar a respiração. Na verdade, a Nazaré é uma cidade encantadora de pescadores e uma estância de veraneio repleta de cor, onde se sente a enorme importância da tradição. A Nazaré cresceu de uma forma bastante sustentável ao longo dos anos, fazendo jus ao património comum e à memória histórica.

Uma das imagens mais marcantes da Nazaré são os carapaus a secar ao sol. Ou os seus belíssimos barcos fervendo de cores e de mensagens sobre a vida. Ou as simpáticas mulheres, envergando as 7 saias, a vender frutos secos e a falar a plenos pulmões. Como se o tempo tivesse ficado suspenso. Tal como as mulheres vestidas de negro, nos idos de 1955, brilhantemente retratadas pela lente do exímio fotógrafo francês Henri Cartier-Bresson. São elas a alma do local.

A gastronomia local é soberba, com especial destaque para as especialidades de marisco ou de peixe, como, por exemplo, as caldeiradas de peixe ou o peixe seco, absolutamente obrigatório na Nazaré !

A melhor vista sobre a Nazaré  obtém-se a partir do Sítio, acessível através de funicular. É o ponto ideal para contemplar esta deslumbrante cidade costeira, enquanto sente o vento no rosto. O mar como nunca o viu antes. Bem-vindo à Nazaré!